NotíciasTec Perifa

Coletivo leva formação em tecnologia para periferias

Criado neste ano por um grupo de jovens, o Coletivo Tec Perifa oferece formações na área da tecnologia para moradores de periferias da Grande Vitória

Novas ferramentas da tecnologia têm impulsionado a economia e oferecido inúmeras oportunidades. Porém, nas periferias, apesar do enorme potencial criativo, ainda há dificuldade de acesso ao mundo das inovações tecnológicas. Pensando em capacitar moradores de periferias para competirem nesse mercado, um grupo de jovens do Território do Bem criou o Coletivo Tec Perifa. A ideia é aproximar a periferia da tecnologia e integrar jovens do Território ao universo tecnológico através de atividades formativas.

Foto: Rhayara Christinee

O Coletivo nasceu de um projeto criado para concorrer a um Edital de Chamamento Público. O Projeto não foi contemplado no edital, mas os jovens não desistiram. Ao contrário, a proposta ganhou forma e transformou-se num Coletivo organizado que sabe bem onde quer chegar.

Formado pelos jovens George, Jean, Renato e Carlos, o Tec Perifa traz uma série de atividades com o objetivo de diminuir as barreiras da favela com a tecnologia, oferecendo oficinas de robótica, noção básica de computação e programas, criação, edição, finalização de vídeos e imagens, e redes sócias.

Segundo o coletivo, a iniciativa busca apresentar aos jovens periféricos uma atividade formativa usando a tecnologia como ferramenta. As aulas ministradas perpassam por diversas áreas da informática, desde informática básica à programação, e até programas de manipulação de imagem e vídeo. Como resultado, esses jovens têm a possibilidade de ampliar o campo de escolha no mercado de trabalho.

Foto: Rhayara Christinee

“Todos os integrantes do coletivo têm uma conexão direta com o meio tecnológico. Nesse sentido, notamos que nas comunidades mais carentes os moradores têm algumas dificuldades ou não têm acesso a ambientes e informações sobre o tema”, explica George. “Esperamos, através das formações, integrar as comunidades no universo da tecnologia, tendo como resultado a inclusão de jovens em vários ambientes, como o mercado de trabalho e o empreendedorismo”, completa.

Além de criar a marca do coletivo e suas redes sociais, o Tec Perifa está desenvolvendo o Site da iniciativa, com informações sobre os projetos e atuações do grupo. Na plataforma podemos encontrar, também, minicursos do Pacote Office e Desenvolvimento (Web) disponíveis para inscrições com tempo indeterminado.

As caras por trás do Tec Perifa

Quem faz o Tec Perifa acontecer são quatro jovens incríveis. Um deles é George Cirilo, 21 anos, membro fundador do coletivo. Focado em inovação, morador de Itararé, trabalha como Promotor de Tecnologia Digital no Ateliê de Ideias, é técnico em Automação Industrial e em Hardware, e cursa Engenharia no IFES Vitória.  “Espero no futuro repassar meus conhecimentos para as comunidades com cursos de qualidade e equipamentos de ponta”.

Pra lá e pra cá rodando pela cidade com sua bike, o jovem estudante de Publicidade e Propaganda da Ufes, Renato Moulin, mora em Jardim da Penha, mas encontrou acolhida no Território do Bem. Estagiário de Assessoria de Comunicação no Ateliê de Ideias, é fotógrafo e diz: “Gosto de usar o que aprendo na Universidade para trazer informação e acesso à tecnologia para aqueles que não têm. Acredito que a comunicação social só exerce de fato sua função se usada para democratização dos meios, e no Tec Perifa encontrei colegas que também levantam essa bandeira da acessibilidade.”

A mente criativa do grupo é o jovem Jean Cirilo, de 19 anos. Apaixonado por desenho e animações, desde criança foi autodidata, porém seu primeiro contato na área foi no Ensino Médio. Atualmente cursa Design na Ufes e presta serviços na área de criação de logomarca e ilustração. Para ele o Coletivo veio para mudar a realidade dos jovens das comunidades que se interessam pelo mundo da tecnologia. “Os espaços que ensinam coisas relacionadas ao assunto são distantes das periferias, e é aí que nós entramos, facilitando o acesso desses jovens ao mundo tecnológico”.

Cria do Território do Bem, morador de Jaburu, Carlos Silva, de 18 anos, é um jovem comunicativo que participa do Fórum de Juventude do Território do Bem, trabalha como Cadastrador Social no Ateliê de ideais e contribui com várias iniciativas locais nas mobilizações e articulação comunitárias. Para ele, o Tec Perifa é uma revolução. “Viemos para mostrar às pessoas, de dentro e fora do Território do Bem, que os jovens, junto com a periferia, são capazes de dominar o universo tecnológico”.

Saiba mais sobre o Tec Perifa

Logo Tec Perifa
Logomarca TEC Perifa

Para saber mais, acesse o site:  https://tec-perifa.web.app/

Ou entre em contato pelas redes sociais do coletivo @tec.perifa pelo Instagram e no Facebook Tec Perifa.

 

Texto e fotos: Rhayara Christinee
Calango Notícias

Comment here