Ateliê de IdeiasNotícias

Empreendedores se unem para estudar, desenvolver e melhorar seus negócios

Empreendedores do Território do Bem, Andorinhas, Santa Martha e Mangue Seco formam Central de Empreendedores, recebem qualificação e concorrem a prêmio de empreendedorismo

Abrir um salão de beleza não é tarefa fácil.  Com tanta concorrência, empreender no setor tornou-se um grande desafio, que a jovem moradora de São Benedito, Tamiris Pereira, de 27 anos, resolveu encarar. Há dois anos alugou um imóvel e inaugurou o Espaço de Beleza Tamiris Pereira. Na medida em que o tempo passou, aumentava sua perspectiva para alcançar além do que os olhos viam, mas  bateu na porta a carência de formação quanto à gestão do seu pequeno negócio. Tamiris percebeu que não bastava ter somente conhecimento profissional em beleza, e que, para empreender, é necessário planejamento, gestão de recursos, investir em atendimento, ficar atenta aos direitos do consumidor, e muito mais. Para ajudar a Tamiris e mais 69 pequenos comerciantes do Território do Bem, de Andorinhas, Santa Martha e Mangue Seco, a administrarem seus empreendimentos, os Projetos Economia do Bem e Ponto Solidário, promovem a iniciativa Central de Empreendedores, que oferece qualificação e um edital de premiação para 15 empreendedores investirem em melhorias nos empreendimentos.

“É gratificante saber que existem iniciativas que buscam incentivar empreendedores da periferia. Pra mim, a Central vai abrir um leque de oportunidades para o comércio local. Uma delas é a qualificação em finanças. Eu tenho grande dificuldade em fazer a gestão do que entra e sai do caixa do salão”, diz Tamiris.

A Central de Empreendedores surgiu da necessidade de transformar às Centrais de Compras do Território do Bem – formada por comerciantes do ramo de alimentação – em Centrais de Empreendedores que envolvam várias formas de negócio. “Assim atuamos com uma diversidade maior de prestadores de serviço, além do pequeno comércio. É uma ideia que estamos aperfeiçoando e desenvolvendo junto com as comunidades” afirma Denise Barbieri Biscotto, coordenadora do Núcleo de Desenvolvimento Comunitário da Associação ateliê de Ideias.

Hoje a Central de Empreendedores é formada por 70  pequenos comerciantes de todos os nove bairros e comunidades do Território do Bem e os bairros vizinhos, Santa Martha, Andorinhas e Mangue Seco”, explica.

Uma das referencias para formação de uma rede de empreendedores é a Pesquisa Saberes, Fazeres e Perfil dos Moradores do Território do Bem, de 2019,  que entrevistou 400 famílias da região. Os dados apontam que 0,8% dos moradores são empregadores e 17,44% são empregados com carteira assinada. Entre os ocupados, pessoas que, de modo geral, perderam o emprego e passaram a viver em situação de pobreza: São 8,25% de empregados que não possuem carteira assinada, 8,72% que trabalham por conta própria, e 14,96% de desempregados. “Nesse cenário, de desemprego e trabalho precarizado, empreender, nos mais diferentes segmentos, como fazer doces e salgados, vender roupas e acessórios, vender lanches em casa ou em pontos comerciais, tem sido a alternativa de sobrevivência para muitas famílias”, conclui Denise.

Aula Inaugural de Qualificação para Empreendedores

A primeira atividade da Central de Empreendedores, neste ano, é a Qualificação para Gestão do Empreendimento. Serão oferecidas oficinas de Bom Atendimento e Direito do Consumidor; Orçamento doméstico e finanças pessoais;  Organização e gestão financeira do comércio; Formalização do negócio e, Vigilância Sanitária e boas práticas, num total de 10 horas de aulas. O objetivo é qualificar o grupo para ganhar autonomia em suas atividades, oferecer bom atendimento, segurança e credibilidade aos consumidores.

Nesta terça-feira, 3, aconteceu a Aula Inaugural da Qualificação. A atividade foi no auditório da Casa do Cidadão, em Maruípe, e contou com palestra motivacional, momento cultural e entrega do edital do Prêmio de Empreendedorismo que vai contemplar 15 empreendedores com prêmios no valor de R$ 6 mil para investirem em melhorias nos seus negócios.

LEIA O EDITAL DO PRÊMIO DE EMPREENDEDORISMO NO BLOG DO ATELIÊ DE IDEIAS

Para a abertura da Aula Inaugural, o jovem Maurício Alexandre, integrante do Fórum de Juventude do Território do Bem, usou a poesia como forma eficaz e criativa de refletir a questão do racismo. Maurício declamou os poemas “Além da Cor”, de Ana Carolina, de 10 anos, “Racismo” e o autoral, “Terra Estranha”,  que chamam atenção para os efeitos de ações discriminatórias e desrespeito pelos direitos humanos. Seja no atendimento ao cliente, no trato com funcionários, em família, na escolar, ou na rua, precisamos  combater a discriminação racial e defender os Direitos Humanos.

De maneira lúdica, o palestrante Célio Sathler, fundador da Criativa Caipira, expôs que a melhor forma de transformar o seu empreendimento em um negócio de sucesso é investir em Inovação com criatividade e aproveitar as diversidades de empreendedores que há numa região para que possam se conectar, trocar ideias e serviços. “Um empreendedor tem que somar o trabalho do outro”, diz.

Além disso, Célio salientou a importância de fidelizar o consumidor oferecendo uma experiência completa e inesquecível ao cliente. “Ao chegar ao comércio, o cliente busca uma experiência prazerosa, marcante e confortante do início ao fim”.

Por isso, é importante que o empreendedor não invista apenas em produtos e treinamentos da equipe, mas também nos processos e na organização do empreendimento. “O cliente busca atendimento personalizado. Use e abuse dos sentimentos. Dê amor, carinho, gratidão, autoestima para as pessoas. O sentimento move o mundo”.

A palestra deu uma injeção de ânimo em Josias Soares, de 62 anos, participante da Central de Empreendedores. Mais conhecido como Soares, ele conta que saiu entusiasmado da aula inaugural. “Se não encontrar felicidade no primeiro estante, eu não retorno, e podem contar que estarei na próxima aula da Central”. Proprietário de um ateliê de costura, há 26 anos, em Consolação, Soares acredita que a palestra trouxe novas ideias para os comerciantes “O palestrante incentivou os comerciantes a colaborar um com o outro. Isso é fundamental para todos crescerem juntos”, acrescenta Soares.

“Às vezes a gente fica tão envolvido com nosso comércio que não se organiza para colaborar com outros comerciantes, então a Central de Empreendedores vai nos ajudar a estar mais próximo um do outro, além da capacitação para melhorar nosso comércio”, disse Juarez Carlos Marcelino, 61 anos, proprietário da casa de ração Marcelino Pet,  em Santa Martha.

Para o  comerciante, a cereja do bolo é o Prêmio de Empreendedorismo porque a premiação contempla a melhoria no comércio com a assistência técnica de um arquiteto  “Ideias a gente tem demais, mas ter um profissional para colocar no papel e acompanhar a obra é  fundamental”, acredita.

A gerente de Qualificação do Trabalhador da Secretaria de Cidadania, Direitos Humanos e Trabalho, Fabiana Santos, acredita que o prêmio é importante para a  melhoria nos estabelecimentos, mas participar das oficinas garante uma melhora não só no empreendimento, mas na vida dos participantes. “investir em conhecimento é fundamental para  o crescimento pessoal e também do pequeno negócio”.

 A iniciativa Central de Empreendimentos é uma das atividades dos Projetos Economia do Bem e Ponto Solidário, realizado pela Associação Ateliê de Ideias em parceria com a Prefeitura de Vitória, através da Secretaria de Cidadania e Direitos Humanos e Trabalho, Fundo Municipal de Proteção e Direito do Consumidor/PROCON/Gerência de Qualificação do Trabalhador. A parceria começou no ano passado e deu tão certo que os convênios foram renovados em 2020.

Leonora Mol, diretora presidente da Associação Ateliê de Ideias, enfatiza que um dos pilares do desenvolvimento é a economia, e para gerar crescimento econômico numa região é necessário promover iniciativas que façam circular a riqueza nas comunidades. “Hoje no Território do bem, conseguimos encontrar comércios bem estruturados, preocupados com atendimento e com oferecer variedades e produtos de qualidade para os clientes. Os moradores não precisam mais sair da região para comprar nada. E daqui para frente, com as ações da Central de Empreendedores, teremos  uma rede de comerciantes constituída, preocupada ainda mais com atendimento, gestão e direito do consumidor”, finaliza Leonora.

Calendário de formação

Depois da aula inaugural, os empreendedores  darão continuidade à agenda de formação em grupos separados. Passar pela qualificação é pré-requisito para concorrer ao  Edital do Prêmio de Empreendedorismo. O comerciante que assistir, pelo menos, a 80% das aulas, estará automaticamente classificado para a segunda etapa de eliminatória.

No Território  do Bem, haverá  uma turma formada por empreendedores de Gurigica, Consolação, Floresta e Jaburu, com encontros quinzenais, das 19 às 21h, no CMEI Professor Carlos Alberto Martinelli, em Gurigica. 

A outra turma do Território do Bem congregará empreendedores de Itararé, Engenharia, Bairro da Penha e de São Benedito, com encontros quinzenais, sempre das 19 às 21 horas, na EMEF Ceciliano Abel de Almeida.

A terceira turma é formada por empreendedores de Andorinhas, Santa Martha e Mangue Seco. Os encontros serão quinzenais, nas segundas-feiras, sempre das 19 às 21 horas no CMEI  Maria Nazareth Menegueli.

Formações e Prêmio de Empreendedorismo em 2019

“Fantástica essa experiência de participar de um curso que nos ajudar a crescer”, diz na aula inaugural o empreendedor Jhones Silva sobre os Ciclos de Formação oferecidos pelos Projetos Economia do Bem e Ponto Solidário, em 2019. Após passarem pelas qualificações, 10 comerciantes das Centrais de Compras de São Benedito, Itararé e Jaburu, e sete empreendedores de  Andorinhas, Santa Martha e Mangue Seco, foram contemplados com o Prêmio de Empreendedorismo, e investiram em melhorias em seus comércios.

No Território do Bem, o primeiro comércio a ser reinaugurado após as mudanças realizadas com recursos do Prêmio foi a Mercearia da Duti, em São Benedito. “Gratidão é a palavra que descreve esse dia tão especial”, resumiu Dulcinéia Pereira, proprietária da Mercearia.

Em seguida foi a vez de o jovem Jhones Silva, proprietário do Loucos por Açaí, em Jaburu, reinaugurar seu espaço e ver suas vendas decolarem com um empreendimento mais confortável e atraente para seu clientes.

Neuma Aparecida decidiu dar continuidade ao empreendimento do pai, fundador do Tonico´s Bar, em Jaburu.  Além do processo formativo, ganhar o  prêmio de empreendedorismo a ajudou nessa jornada. “Hoje, digo orgulhosa que, além de o Bar do meu pai estar lindo, organizado e ainda mais agradável, sou uma empreendedora qualificada para gerir meu negócio, por causa das oficinas que assisti”, ressalta Neuma.

E as reinaugurações não param. No último dia 20, foi a vez da dona Maria Nilza Vitorino oferecer um almoço para comemorar a  inauguração do seu novo espaço para a produção de marmitas, no bairro São Benedito.

Já pelo projeto Ponto Solidário, em Andorinhas, Santa Martha e Mangue Seco, as obras para a melhoria dos sete empreendimentos contemplados estão a todo vapor.

Trajetória de Desenvolvimento local

Na aula inaugural, Leonora Mol, diretora presidente da Associação Ateliê de Ideias, lembrou que no ano de 2005, a instituição e as lideranças comunitárias iniciaram as ações de desenvolvimento do Território do Bem, com a implementação do Banco Bem. Sessenta mulheres da região acreditaram que era possível e fizeram o primeiro empréstimo de R$ 300,00. Uma dessas mulheres deu o nome ao banco de “Banco Bem”, porque o banco traria um bem enorme para a comunidade de São Benedito. “De repente o Banco Bem começou a crescer, chegando às nove comunidades do território, e dando origem ao nome Território do Bem”.

A expectativa, na época, era de que o processo de desenvolvimento local acontecesse em vinte anos. “Passados quinze anos, temos histórias de moradores, clientes do Banco Bem, que tiveram suas vidas transformadas. Temos histórias de desenvolvimento local,  da construção do Fórum de Desenvolvimento local, o Fórum Bem Maior. E nesses últimos dois anos foi um período muito importante para o Ateliê de Ideias e para lideranças locais porque ampliamos nossas ações através dos  projetos Economia do Bem, Ponto Solidário e  Catadores são Educadores, realizados em parceria com a Secretaria de Cidadania e Direitos Humanos, com o PROCON e com a Gerência de Qualificação do Trabalhador. É mais que uma parceria. É um trabalho que é desenvolvido junto”, finaliza.

Saiba mais sobre estes projetos:

Facebook – https://www.facebook.com/Ateliedeideias 

Imagens: Renato Moulin

Geisiane Teixeira

Comment here